Fonte

Joe Morton interpretou o Dr. Silas Stone, pai de Ciborgue (Ray Fisher), em ambos Batman vs Superman: A Origem da Justiça e Liga da Justiça, e, de acordo com o ator, estará reprisando o papel no filme solo do Ciborgue, também.

Apesar das preocupações dos fãs de que o filme acabe por não acontecer, Morton parece sentir o contrário. Em entrevista ao Entertainment Tonight, o ator deixou claro que acredita que o filme ainda está em andamento:

“Pelo que entendi, haverá um filme do Ciborgue. Será sobre ele e eu, e sobre a família que ele veio, como ele se torna o Ciborgueg, etc. Mas de onde ele veio também.

Morton passou a explicar por que ele acredita que o filme pode ser importante e como o codinome de Ciborgue, ou a falta dele, pode ressoar com o público:

“Eu acho muito emocionante. Eu acho que é emocionante porque não há muitos, se algum, super-heróis negros, e no caso dele em particular, porque não existe um pseudônimo, porque não há nada para ele se esconder atrás, e que ele tem que ser quem ele é o tempo todo. Eu acho que é um ótimo tipo de alegoria para o que significa ser negro neste país.”

Morton teve uma carreira longa e distinta e é talvez mais famoso por seu papel como Miles Dyson em O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final. Então, enquanto o ator viu e fez tudo, isso não o impediu de se divertir no set da Liga da Justiça:

“Para ficar perto de Zack Snyder e Joss Whedon, assistir o trabalho que eles fazem e trabalhar com os outros atores, outros personagens, foi muito divertido. Foi também um forte contraste com o que eu estava fazendo na época em que comecei, porque foi meio que o fim de Scandal, e então fui para a Broadway para fazer uma peça [chamada Turn Me Loose] sobre Dick Gregory, que foi muito real. Então, saltar literalmente através do Oceano Atlântico e entrar em uma revista em quadrinhos da DC era apenas uma espécie de cabeça giratória, mas foi muito divertido.”